Com vocês, Lucas Ruicci!

Boa tarde pessoal! Estou em uma correria para finalização do meu TCC da pós, por isso, o nosso Atire na Jornalista anda tão as moscas, mas em meio a tudo isso, hoje eu venho aqui para apresentar a vocês um novo colaborador, o advogado Lucas Ruicci.
Mas, fiquem tranquilos, ele não irá nos trazer os termos da lei, mas sim textos completos e cheios de dicas sobre culinária!

Isso mesmo, comidinhas gostosas para fazer em casa!

Neste primeiro post vamos conhecê-lo melhor e já ficar esperando seus próximos textos!

Seja bem vindo Lucas!

Olá, me chamo Lucas Ruicci, tenho 23 anos, sou de Cuiabá MT, mas com um pezinho na Itália, formado em direito, pós-graduando em Direito Penal e Direito Tributário, cinéfilo, apaixonado por carros, motos e tudo quanto é esporte a motor, Corintiano fanático. No meio dessa vida corrida que levo, sempre que me sobra um tempinho me dedico a minha maior paixão, cozinhar. Algo que me acalma, relaxa, descontrai, faz com que toda a tensão da rotina diária no escritório simplesmente desapareça. Tudo de maneira bem simples e amadora, mas com muita dedicação.

Neste meu primeiro poste aqui no Atire na Jornalista, eu gostaria de falar sobre algo muito simples, porem muito importante, os temperos, especiarias tão pequenas porem com um poder incrivelmente devastador sobre a culinária, sendo assim devem ser utilizados com muita cautela, o menor erro de calculo e algo que poderia ser um prato principal se torna aquilo que seus amigos, comem e dizem que está “ótimo” pela amizade. Eu costumo dizer que o primeiro grande tempero descoberto pelo homem foi o fogo, SIM o fogo, imaginem que ele pode mudar o sabor de todo e qualquer alimento o qual o homem tinha acesso, daí então, milhares de outras combinações, entre ervas, raízes, castanhas, torradas, esmagadas para que seu óleo fosse extraído, foram se moldando juntamente com a humanidade. Nas mãos de entusiastas, curiosos, e apaixonados, milhares de combinações surgiram, dando assim uma imensidão de sabores, os quais podem desfrutar hoje em dia.

Estas especiarias possuem diversos valores de mercado, alguns muito comuns outros nem tanto, o Sal, que já foi até utilizado como pagamento para os soldados nas cruzadas, dando assim origem a palavra “salario” é hoje em dia o principal condimento utilizado no mundo, divido sua fácil extração seu valor de mercado é relativamente baixo, ao contrario do zafferano, que não é açafrão em italiano, Zafferano, é um condimento muito utilizado na culinária italiana, apesar de 95% da produção mundial de zafferano vir da Caxemia, India e Irã. Um pó muito vermelho extraído do pólem da flor de Zaffero (Crocus sativus.) tem seu valor médio de 12 Euros a grama. Ao tocar a água, produz uma coloração amarelada, sendo vendido em pequenas frações, de aproximadamente uma grama, com uma capacidade de produzir sabores incríveis, muito utilizado em risotos e massas, para dar cor, por incrível que pareça, esta única grama é capaz de temperar uma quantia equivalente a cinco copos de arroz.

Sintam-se apresentados, ao fogo, sal e ao zafferano, tudo muito diferente, encontrados e produzidos de maneiras completamente diferentes, porém, com o mesmo intuito, o de nos proporcionar experiências gastronômicas diferenciadas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s