Você sabe o que eu quero dizer

Quantas promessas já foram feitas a você? Em quantas você acreditou?

Eu não sei responder a primeira dessas perguntas, mas tenho 90% de certeza de que acreditei em todas que me fizeram… Principalmente quando foram feitas por pessoas em que confiava…

Queria poder ter certeza e dizer tudo o que eu quero… Queria ter meus 20 segundos de coragem…

 As vezes eu acho que sou louca, dissimulada e que tudo eu me acontece é coisa da minha cabeça. Mas, é só olhar para os lados, puxar as conversas na memória que percebo que não. A louca não fui eu, posso ter sido inconsequente e não ter medido até onde tudo poderia ter parado, ou parou… (não sei…). Nisso tudo fica a certeza de que fui fiel ao que acreditei, no que acredito… Fui fiel a mim mesma, enquanto não tive por que esconder nada de ninguém. Fui fiel até a você, que ganhou aos poucos meu carinho e minha admiração. Nunca escondi nada, sempre joguei limpo e fiz questão de manter tudo as claras. E você?

 Quem ganhou e quem perdeu?

 E por mais que em um mundo normal eu deveria estar morrendo de raiva. Eu não estou… Pra falar a verdade, eu estou sem reação… Não consegui me alterar… Apenas tenho uma vontade tremenda de mandar você se f****. Aí eu paro e penso, será que eu quero mesmo falar isso para você, ou eu quero falar exatamente o contrário?

 Não sei… Não sei mesmo…

 Só sei que não me arrependo de nada, por que tudo que acredito tem um porque. E pra mim, ainda fica a sensação, de inacabado. Não sei pra você…

 Ainda fica a dúvida, ainda fica a incerteza e principalmente a sensação de impotência…

 Nesta história não ouve quem não errou… Um errou por medo de ser feliz e o outro por acreditar demais… (no que ambos ainda acreditam…)

Um pensamento sobre “Você sabe o que eu quero dizer

  1. O resultado é a consequência da ação, que por sua vez é consequência dos fatos, estes consequências de coisas inexplicáveis.
    Talvez eu seja uma das pessoas que melhor conhecem seu lado desta história e talvez também a que melhor entenda suas ações consideradas…. “absurdas”, “burras”, “idiotas”?
    Casa ser tem sonhos à sua maneira, diria Ney Mato Grosso e Pedro Luís e a Parede na canção “Noite Severina”. Acho que é por aí. Sempre falamos, um ao outro, sobre a intensidade destas loucuras que ambos f (a) (i) zemos. Eu, por muito mais tempo que você. Você, e muito, por influência minha.
    Seria hipocrisia dizer que o resultado ruim é mais que ruim: se torna péssimo. A sensação é esta mesmo. “Sou idiota”, “como pude?”, “tô ferrado (a)”. Mas são sensações que passam tal qual a tristeza e a raiva e a impotência. Depois disso o chão reaparece nos nossos pés. É, eu sei, isso é bem clichê, mas eles estão aí para isso também.
    Não importa como se sinta fraca, frágil ou pequena. O que você fez, metade das pessoas que poem o dedo no teu rosto não fariam. Você foi insana – na parte boa da palavra -, abriu o peito para a pancada, deu a própria cara a tapa… e com consciência. Todo mundo dá a cara a tapa, mas sem a ciência disso.. e vc foi tipo “suicida” – também de uma forma positiva. Caralho, eu tenho orgulho de você por aceitar a loucura de uma bagunça que não cabe a você arrumar.
    Agora, cá para nós.. precisamos rever, e já, os nossos conceitos sobre até que ponto continuar.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s